Compesa
Governo – Pandemia não acabou
Recife
Sem categoria

Corrente do PT declara apoio a Frente Popular


pc pt

Uma das correntes do Partido dos Trabalhadores, a PT de Lutas e Massa (PTLM) decidiu apoiar a candidatura do ex-secretário estadual da Fazenda Paulo Câmara (PSB) ao governo de Pernambuco. Em nota, a tendência diz que “o PT de Pernambuco vem seguindo um caminho que o afasta dos seus princípios éticos fundamentais”. “Desde 2012, nas prévias para eleição à Prefeitura do Recife, vimos o PT desprezar sua democracia e descumprir suas decisões de encontros do partido”, diz o texto.

Segundo o coordenador da campanha da presidente Dilma Rousseff (PT) no estado Gilson Guimarães, um dos pontos de insatisfação da PTLM são as campanhas do candidato ao governo de Pernambuco Armando Monteiro (PTB) e do postulante ao Senado (PT) João Paulo esconderem a presidente de suas campanhas.

“Até 15 dias atrás, havia a rejeição em ligar o nome dos candidatos com Dilma, porque ela estava em baixa nas pesquisas. Até as peças de João Paulo dizem que ele é de Lula e Dilma mal aparece”, alfinetou Gilson.

Armando ocupa a segunda posição nas intenções de voto para governador, com 34% do eleitorado, conforme pesquisa Datafolha, divulgada na última sexta-feira (26). O ex-secretário Paulo Câmara lidera a disputa, com 43%.

Ligação com o PSB

A PTLM era, historicamente, ligada ao PSB antes do rompimento entre petistas e socialistas. Na eleição de 2012, por exemplo, quando o PT-PE passou pela maior crise de sua história, a corrente criticou a atitude tomada pela alta cúpula do partido, de lançar o nome do senador Humberto Costa (PT) para o pleito municipal.

Na época, o PT decidiria o seu candidato a prefeito do Recife com uma prévia partidária disputada entre o então chefe do Executivo municipal, João da Costa, atual postulante a deputado federal, e o secretário de governo de Pernambuco, Maurício Rands, hoje no PSB. O dirigente era apoiado pelo presidente estadual do PT na época, deputado Pedro Eugênio, e pelo então governador Eduardo Campos (PSB), ainda que não fosse um apoio explícito.

Devido a denúncias de fraudes na primeira disputa interna, a prévia foi cancelada. Membros do PTLM criticam o que chamaram de autoritarismo de integrantes do partido sob o “comando” do senador Humberto Costa e do deputado federal João Paulo, principal inimigo político de João da Costa por motivos até hoje não esclarecidos.

Confira a nota do PTLM:

Nós filiados ao PT e militantes da Corrente Interna PTLM (PT de Lutas e Massa), ao longo de nossa trajetória política, sempre estivemos junto dos movimentos sociais e trabalhando para o avanço do partido em Pernambuco.

Constantemente dispostos ao diálogo, respeitamos a democracia e obedecemos o Estatuto do Partido nas polêmicas internas. Nunca nos esquivamos em apoiar qualquer companheiro petista, independente da Corrente na qual fosse ligado. Estivemos também presentes em todas as campanhas eleitorais, tanto das majoritárias como das proporcionais, por meio dos candidatos com os quais mantivemos forte afinidade política e ideológica.

Hoje, no entanto, constatamos mais uma vez que o PT de Pernambuco vem seguindo um caminho que o afasta dos seus princípios éticos fundamentais. Desde 2012, nas prévias para eleição à Prefeitura do Recife, vimos o PT desprezar sua democracia e descumprir suas decisões de encontros do partido.

Desde então, as posições políticas vêm sendo tomadas sem a necessária discussão com a base partidária. Para o PED, os 300 Delegados eleitos em cima da tese de candidatura própria simplesmente viram suas posições desconsideradas e a proposta de convocação de plebiscito interno para aprofundar a discussão dessa tática eleitoral negada.

Por fim, ficou definida de forma antidemocrática e arbitrária, a atual coligação para a majoritária no Estado, uma posição difícil de ser carregada nesta campanha, em face das inúmeras contradições com as bandeiras do PT na defesa e luta dos trabalhadores.

Lideranças com mandatos tentam o tempo todo impor suas posições políticas ao partido, as quais carecendo de lógica democrática atendem somente seus próprios interesses, numa tentativa de transformar o PT de Pernambuco em um partido de cúpula e de donos, de mandos e de desmandos.

Neste momento é impossível não reconhecer que a aliança história Frente Popular, da qual sempre estiveram juntos PT, PSB e PCdoB trouxe conquistas irrefutáveis ao povo de Pernambuco. Esta continuidade não pode ser abalada pela disputa presidencial, e muito menos por interesses individuais.

Acreditamos que os melhores resultados para o País somente serão alcançados com Dilma presidenta pelo seu caráter e honradez e pela sua capacidade de diálogo com os movimentos sociais, na perspectiva de sempre fazer mais. Mas para o Estado de Pernambuco, acreditamos firmemente em Paulo Câmara governador e Fernando Bezerra Coelho senador. Reiteramos diante deste gesto de apoio às candidaturas estaduais verdadeiramente dedicadas aos pernambucanos, nosso compromisso com as raízes democráticos do nosso Partido.

No PTLM tomam essa posição, 80 diretores municipais do PT, cinco presidentes municipais do PT, três dirigentes estaduais do PT e dois membros da Executiva Estadual do PT.

Elielson Lima 29 set 2014 - 13:36m

Comentários

Compesa
Recife

Pesquisar

Publicidade

 

Curta no Facebook

Arquivos do Blog