Governo de Pernambuco – ARBOVIROSES 2021 (COVID)
Jaboatão – Nova Orla
PCR – volta as aulas
Sem categoria

"Família de Eduardo não é um partido", criticou prima de Campos

Publicado em: 13/10/2014 - 21:34m

familia-eduardo-camposA prima do ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos e vereadora do Recife, Marília Arraes (PSB), criticou o apoio do PSB ao candidato Aécio Neves (PSDB), bem como o fato da família do socialista ter aderido à postulação tucana, algo considerado essencial pelo PSDB para alavancar a votação de Aécio no Nordeste. Segundo Marília, a “a família de Eduardo Campos não é um partido”.

A declaração de Marília foi feita na manhã desta segunda-feira (13) em entrevista à Rádio Jornal. Segundo a parlamentar, o apoio do PSB e mesmo da família Campos ao PSDB vai de encontro a história do próprio partido. “Essa política do Aécio nós conhecemos. Nós e (Miguel) Arraes fomos o grupo mais perseguido pelo PSDB quando Fernando Henrique era presidente. Essa política eu enxerguei na candidatura de Paulo Câmara (eleito governador de Pernambuco pelo PSB) e na candidatura de Eduardo à Presidência”, disparou.

“Acredito que é contraditório e é a mesma coisa de rasgar a nossa história. O Pernambucano sabe o que a gente sofreu quando meu avô, Miguel Arraes, foi governador. Nós sofremos o maior arrocho, fechamento de torneiras para o Estado de Pernambuco. Foi uma perseguição que mostra qual é a política do PSDB de Aécio. Nós do PSB fomos as principais vítimas disso”, afirmou Marília.

Marília vem desfiando um rol de críticas ao PSB desde que Eduardo Campos tentou colocar filho mais velho, João, no comando da Juventude Socialista do PSB. As costuras políticas visando as eleições presidenciais aprofundaram estas desavenças e Marília acabou por não apoiar a candidatura de Paulo Câmara ao Governo do Estado e nem a postulação de Marina Silva à Presidência da República.

“Eu não tenho como defini-la (Marina Silva) porque eu não a conheço. Ela estava, como eu costumo dizer, “matriculada” no PSB. Ela não é socialista. Ela não é do partido. Ela queria lançar o seu partido, a Rede, mas não conseguiu. Entrou no PSB por uma questão de conveniência, então eu não posso considerá-la como co-partidária minha nem como membro do PSB”, disparou.

 

Elielson Lima 13 out 2014 - 21:34m

Comentários

Pesquisar

Publicidade

Publicidade _ Petrolina

Curta no Facebook

Publicidade

Arquivos do Blog