Governo – Pandemia não acabou
Pressão

Romário Dias na mira pela presidência da Alepe


12.09-ROMARIO-DIAS-RS-91-de-12Que o deputado Romário Dias vai deixar o PTB não é novidade, mas como ele vai derrotar o presidente da Assembleia Legislativa de Pernambuco, Guilherme Uchoa (PDT), na disputa pelo comando da Casa em 2017 é uma incógnita. Depois de ventilar uma ida para o PSB, para o PSDB e até o PSL, o parlamentar ainda não se decidiu. Ele tenta fechar a equação para se fortalecer na briga pelo trono com o aval do Palácio do Campo das Princesas. No entanto, pelo quinto biênio consecutivo no cargo, Uchoa já deixou claro que não pretende largar a coroa tão fácil, embora enfrente resistências de deputados e entidades como a OAB, que julga ser inconstitucional mais uma recondução do pedetista.

Outro fator que pode minar Uchoa é a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que proíbe a reeleição para o mesmo cargo na composição da Mesa Diretora da Assembleia. Ela será apresentada após o carnaval pelo deputado Rodrigo Novaes (PSD) e já foi vista com entusiasmo por alguns colegas de legislatura, conforme antecipado pelo blog. Caso ela seja aprovada, o pedetista não poderá se candidatar à presidência.

Surge então uma luz no fim do túnel para Romário Dias, que já foi em outrora presidente da Casa Joaquim Nabuco. Segundo ele, a decisão de qual partido aportará vai depender, entre outros fatores, do apoio dos pré-candidatos e prefeitos. Ele quer garantir um “retorno” para se reeleger nas eleições de 2018. “Tudo tem que ser acordado”, declarou. Nesta semana, o deputado teve uma longa conversa com o prefeito do Jaboatão dos Guararapes, Elias Gomes (PSDB), que assumirá a presidência estadual do partido em agosto. Também já negociou com o PSD, mas as chances de se filiar à legenda são pequenas.

Elielson Lima 03 fev 2016 - 1:10m

Comentários

Pesquisar

Publicidade

 

Curta no Facebook

Arquivos do Blog