PCR – COVID
Governo de Pernambuco – Use máscara 1
Internacional Trump anuncia nomeação de genro como assessor de alto escalão na Casa Branca

Trump anuncia nomeação de genro como assessor de alto escalão na Casa Branca


O genro do presidente eleito dos EUA, Donald Trump, foi escolhido nesta segunda-feira para ser assessor de alto escalão durante seu mandato na Casa Branca. O milionário Jared Kushner já estaria organizando os detalhes para nomear a sua própria equipe no governo. O caso pode levar a problemas por conflito de interesse e suposto nepotismo.

“Jared tem sido um ativo tremendo e um assessor de confiança através da campanha e da transição, e estou orgulhoso por tê-lo em um papel de liderança no meu governo”, declarou Trump em comunicado.

Segundo veículos de imprensa, a posição tornaria Kushner uma das pessoas mais influentes no círculo de aliados próximos de Trump no governo. Aos 35 anos, ele é casado com Ivanka Trump, filha do presidente eleito, e tem a sua própria fortuna, estimada em US$ 200 milhões.

De acordo com o “New York Times”, Kushner e Ivanka compraram recentemente uma casa em Washington, e o genro do presidente eleito já se afastou do cargo de diretor-executivo do conglomerado empresarial de sua família.

Além de potenciais acusações de nepotismo, Kushner terá que lidar com um possível conflito de interesses porque atualmente há negociações em curso entre os Kushner e investidores chineses ligados ao regime comunista, advertiu o “NYT”. Uma lei de 1967 proíbe funcionários públicos em agências e escritórios do governo de contratarem familiares, inclusive genros e noras. Alguns advogados especializados, no entanto, afirmam que, juridicamente, a Casa Branca estaria isenta do alcance da lei.

Durante a campanha presidencial de Trump, Kushner atuou como um dos seus assessores de campanha. Pouco após ser eleito, o bilionário afastou o então chefe da equipe de transição, Chris Christie, e várias pessoas próximas a ele. Segundo veículos da imprensa americana, a ação teria nascido da influência de Kushner, cujo pai foi indiciado e condenado por crimes financeiros em Nova Jersey quando Christie era procurador-geral do estado.

O magnata afirmou que o genro poderia ser uma peça-chave na reoslução do conflito entre israelenses e palestinos. A família de Kushner é judia, tem negócios milionários em Israel e apoia grupos pró-assentamentos, tema que provocou controvérsia por conta de divergências históricas dos EUA com a política de expansão de colônias da Cisjordânia.

Inicialmente, Trump queria nomear seus próprios filhos para ajudar na equipe de transição do seu governo. No entanto, a sua intenção acabou sendo impedida por uma lei federal que proíbe autoridades de empregarem seus parentes em cargos públicos.

Do Jornal O Globo

Elielson Lima 15 jan 2017 - 23:18m

Comentários

Pesquisar

Publicidade

 

 

Curta no Facebook

Arquivos do Blog