PCR – Cred Pop
Jaboatão – Aniversário
GOVERNO DE PE – USO DE MÁSCARA (REFORÇO 2021) – COVID 19
Carpina I Simpósio sobre Suicídio é realizado em Carpina

I Simpósio sobre Suicídio é realizado em Carpina


Foi realizado, nesta sexta-feira (29), o I Simpósio Sobre Suicídio do Carpina, no auditório da Prefeitura reunindo profissionais da área de saúde, como psicólogos, terapeutas, enfermeiras, psiquiatras e assistentes sociais, como também estudantes e autoridades públicas para debater o tema.

Pioneiro na cidade, o simpósio trouxe à tona a necessidade de se identificar os sinais de distúrbios mentais como depressão, síndrome do pânico, esquizofrenia e todo tipo de desvio que leve o indivíduo a tentar contra a própria vida. “A discussão sobre o suicídio tem que ser explanada diariamente. É um problema silencioso, que pode afetar qualquer um. O suicídio não é o caminho para o ser humano, porque a vida é seu bem mais precioso” afirmou a Secretária de Saúde do Carpina, Jacilene Lourdes da Silva.

Para a Coordenadora de Saúde Mental do Município, Julliana Peres, é necessário que o profissional de saúde conheça os sintomas comportamentais de pacientes com algum tipo de perturbação mental. “A importância do simpósio é ter um entrosamento de toda rede de saúde. Nós recebemos profissionais que trabalham em postos de saúde, hospitais escolas e SAMU. Todos receberam sua dose de atualização sobre o tema. Agora eles sabem que em qualquer suspeita podem direcionar o paciente ao CAPS ou CRAS” disse Juliana.

Uma das palestrantes foi a Psicóloga do Núcleo de Apoio a Saúde da Família (NASF), Gessica Amorim, que ressaltou a importância do debate com profissionais e também com a população. “Temos que ler e estudar esse tema suicídio, fazendo reuniões clínicas e o mais importante escutar sempre o que o paciente esta dizendo por que existem fases diferentes de um suicida. É necessário saber identificar para depois ajudar”, afirmou Gessica.

A Secretaria de Saúde do Carpina oferece tratamento intensivo ou semi-intensivo a pacientes com distúrbios ou perturbações mentais, através do Centro de Atenção Psicossocial (CAPS), com o acolhimento, terapia individual, atendimento psiquiátrico e dispensação de medicamentos.

Elielson Lima 29 set 2017 - 23:32m

Comentários

Pesquisar

Publicidade

Publicidade – Olinda

Publicidade – Alepe

Publicidade

Curta no Facebook

Arquivos do Blog