Governo – Emprego
Jaboatão – Anti-rábica
PCR – Recife Virado
Coluna Coluna da terça | Debate apresenta tom da campanha deste ano, no Recife

Coluna da terça | Debate apresenta tom da campanha deste ano, no Recife

Publicado em: 29/09/2020 - 0:15m

Mesmo ter sido difícil acompanhar, o debate promovido pela UFPE na noite de ontem (28), deu um norte de como será o tom de como será a campanha no Recife. Ficou visível algumas polarizações.

Primeiro embate foi protagonizado entre Marília Arraes (PT) e a Delegada Patrícia Domingos (Podemos), a candidata petista não aliviou ao criticar a concorrente sobre a promessa de tirar o Recife do consórcio metropolitano do transporte público. A leitura que elas tem um perfil muito parecida e terão que bater de frente para mostrar ao eleitorado suas diferenças.

Um outro fator natural é que todos os candidatos bateram forte na gestão do prefeito Geraldo Júlio, o mesmo governo que João Campos (PSB) tem que fazer a defesa, pois está vinculado diretamente como o candidato da continuidade. Essa é uma tarefa que exige preparo para superar.

Depois, Marco Aurélio se transformou num verdadeiro homem-bomba para implodir o próprio bloco oposicionista. Na defesa do bolsonarismo, ele partiu para cima do coronel Feitosa e de Mendonça Filho. O ex-ministro da Educação também levou paulada do candidato Victor Assis, do PCO, que fez insinuações da vida pessoal do candidato e relembrou seu período na equipe do ex-presidente Temer.

Por fim, mesmo num debate totalmente desorganizado e fraco de condução, ficou claro o tom que a campanha vai se desenrolar na capital. João sofrerá os ataques da gestão, a Oposição promove a autofagia e a outsider continua fora da rinha sem contabilizar discursos negativos.

SALDO NEGATIVO – Quem venceu o debate cada um vai defender seu candidato, mas quem perdeu, eu sei. Primeiro, os candidatos que perderam tempo em vez de está numa agenda mais produtiva. Ao mesmo tempo os internautas por ter que aguentar o formato e por último, a própria UFPE que saiu menor após a edição do debate de ontem.

SÃO LOURENÇO (Parte 1) – Após desistir e voltar de novo para a disputa em São Lourenço da Mata, Netinho Lapenda (PP) renunciou a candidatura para aderir ao palanque do prefeito Bruno Pereira (MDB). No post, ele usou o número 11 do seu partido com o sinal de adição com 4, fazendo o somatório do 15, do prefeito Bruno.

SÃO LOURENÇO (Parte 2) – O Vereador Aldeci Severino de Santana (PRTB), da base da candidata Savana pediu impugnação no registro da candidatura de Vinicius Labanca, para prefeito, em São Lourenço da Mata. Fica a dúvida, como ele conseguiu ser candidato em 18 mesmo com essa bronca?

RÁPIDAS

AFIADA – A delegada Patrícia Domingos (Podemos) surpreendeu a muitos durante sua participação no debate. Ela conseguiu sair um pouco do seu repertório corriqueiro e se apresentou bem em temas diferentes da sua atuação.

NA PONTA DA LÍNGUA – Quem também mostrou competência no debate foi o candidato João Campos (PSB). Usou bem o tempo e mostrou que está com o discurso na ponta da língua.

PISO – No primeiro discurso como candidato, o prefeito de Carpina, Manuel Botafogo (PDT) prometeu pagar o piso nacional dos professores. A classe reivindica o reajuste desde o início da gestão.

PINGA-FOGO: Qual será a surpresa da campanha de Carpina que andam falando?

Elielson Lima 29 set 2020 - 0:15m

Comentários

Pesquisar

Publicidade

Curta no Facebook

Publicidade

Arquivos do Blog